Negócios com sua Van

Curiosidades

Dicas para decidir entre furgão e chassi com cabina

furgão ou chassi

Mercedes-Benz

Os furgões são práticos e os chassis com cabina permitem muitos tipos de implementos. Para alguns tipos de uso, não há dúvida sobre qual escolher. No entanto, há outros que geram dúvidas, pois ambos podem atender à necessidade, mas um pode ser mais adequado do que o outro.

 

Neste post, vamos ajudar você a pensar na melhor opção para a sua necessidade.

 

Primeiramente, não pense no uso do veículo a curto prazo. Tente imaginar no uso dele, pelo menos, a médio prazo, ou pelos próximos três anos. Tudo bem que se mudar o tipo de uso pode vendê-lo e comprar outro, mas a venda antes de amortizar parte do investimento pode não ser um bom negócio.

 

Então, vamos conhecer as características dos furgões e dos chassis com cabina tendo a linha Mercedes-Benz Sprinter como exemplo. Como as opções de modelos e versões são muitas, vamos escolher o Sprinter 314 CDI Street para passar os conceitos que vão valer para todos outros modelos, variando para os que oferecem capacidades maiores. Uma das vantagens do Sprinter 314 CDI Street é que ele pode ser conduzido por motoristas com CNH categoria B.

 

Pesos e dimensões

 

Duas características da carga a ser transportada vão influenciar diretamente na escolha do tipo de veículo: peso e tamanho. A matemática peso mais volume é o principal critério quando há dúvida entre furgão e chassi.

 

Começaremos a falar sobre o peso. Antes, é muito importante sabermos um pouco sobre PBT (Peso Bruto Total), que é o peso máximo permitido pela lei contando o próprio peso do veículo mais o peso da carga. O PBT pode ser fiscalizado quando mandam o veículo passar por uma balança. Cada modelo de veículo é homologado para um determinado PBT. A Polícia Rodoviária, por exemplo, também costuma fiscalizar pelo piso das mercadorias descrito na nota fiscal.

 

O chassi 314 CDI Street Longo sai de fábrica com o peso de 1.880 kg, sobrando 1.620 kg para carroceria e carga. Se a carroceria que for instalada nele, por exemplo, pesar 500 kg, a tara (como a legislação chama a capacidade para carga dentro do veículo) é de 1.120 kg.

 

O furgão 314 CDI Street Longo sai de fábrica com peso de 2.180 kg (com óleo e combustível) e carga útil de 1.320 kg.

 

Aqui já aparece a primeira diferença. Exceto no caso de instalação de acessórios e equipamentos, a capacidade de carga no furgão já está definida de fábrica. No chassi, vai depender muito do peso da carroceria escolhida, chamada também de implemento. O tipo de carroceria (baú, câmara frigorífica, carga seca) será determinante para a capacidade da carga final do veículo. Porém, os materiais utilizados na fabricação do implemento também pode influenciar o peso de um mesmo tipo de carroceria, pois há no mercado diferentes opções de materiais que possuem pesos diferentes, como madeira, aço e até o alumínio, que é o mais leve dos materiais usados comumente.

 

Agora, vamos avaliar a questão de tamanho ou volume da carga.

 

O furgão 314 CDI Street Longo com teto alto tem capacidade volumétrica de 10,5 m3, e isso não pode ser alterado facilmente. Até pode, por meio de transformadores de veículos, mas para uso restrito, e precisa de uma nova homologação com os órgãos públicos, o que envolve mais custos e tempo. Na largura, pode receber sistemas móveis que são acionados quando parado, como em motorhome e furgões transformados para serem stand em eventos e feiras.

 

Mas vamos continuar com as medidas que o furgão sai de fábrica, pois ela atende a maior parte dos clientes. Assim, não é só os 10,5 m3 que importam. Devem ser levadas em consideração as necessidades de largura e comprimento, e, por isso, temos que nos informar sobre as dimensões da zona de carga.

 

Na versão dessa exemplificação, temos 2.009 mm de altura, 1.787 mm de largura e 3.375 mm de comprimento, o que resulta nos 10,5m3 de volume e 5,1 m2 de área de piso. No furgão, tem também a caixa de rodas e, nesta área, a largura é de 1.350 mm. Há também as dimensões das portas que devem ser observadas.

 

Se a sua necessidade volumétrica de carga não se encaixa nessas dimensões, a melhor ideia é optar por um chassi e buscar um implementador que desenvolva uma carroceria que atenda às suas necessidades.

 

As vantagens de cada modelo

 

Os furgões já vêm prontos de fábrica e possuem entrega imediata. Por isso, começam a trabalhar no dia que saem do concessionário. É fácil de mantê-los limpos e não requerem a manutenção extra da carroceria.

 

Agora vamos às vantagens do chassi.

 

Há um universo muito grande de tipos de implementos. É possível, inclusive, que uma nova solução seja criada a partir de uma necessidade particular sua.

 

No mercado, muitas empresas trabalham com carrocerias a pronta-entrega, principalmente para os tipos mais comuns, como baú e carroceria aberta. Se o seu tipo de carga não couber em um furgão, seja pela largura, comprimento ou altura, pode-se fabricar um implemento para este objeto. Por exemplo, quem trabalha com festas e eventos, muitas vezes precisa transportar decorações que são leves, frágeis e que requerem mais espaço. O implementador fabrica o baú sob medida para esta necessidade.

 

Logicamente, que tudo precisa ser feito dentro do limite da lei e das especificações do fabricante do chassi. Os implementadores conhecem as leis e contam com todo o suporte da Mercedes-Benz, com manuais e consultoria de funcionários especializados da fábrica.

 

Para mais carga

 

Dentro da linha Mercedes-Benz Sprinter existem opções de tonelagem que vão desde o exemplo que mencionamos de três toneladas e meia até maiores capacidades de carga, como 4 e 5 toneladas, tanto para chassis com cabina quanto para furgões.
Se a necessidade for maior do que essas, aí é hora de pensar em um caminhão leve, como o Mercedes-Benz Accelo.

 

Em breve, mais dicas e informações sobre o universo das vans!